Discografia 1994 - 2004

by Gritos

/
1.
2.
01:31
3.
4.
01:03
5.
6.
7.
01:17
8.
9.
10.
11.
12.
13.
14.
01:33
15.
16.
04:32
17.
18.
19.
20.
21.
22.
23.
24.
25.
03:13
26.
01:53
27.
01:59
28.
04:57
29.
03:34
30.
03:25

about

1994, Coq Beach rising sun. Um circuito de shows underground pipoca pela Grande Vitória, da ilha à Guarapari, de Vila Velha à Aracruz, e quem sabe em outros buracos suburbanos. A partir desta data, além de começar a intensificar mais esse circuito por essas terras de grileiro, bicheiro e coroné, é quando começaram a se encontrar os primeiros integrantes do GRITOS, para mostrar os dentes, ou melhor, as caras, e todo seu potencial de expressar suas próprias opiniões e fazer um Hard Core coeso e consistente, mesclando ao mesmo tempo influências tanto melódicas quanto de porradeiro total.

Em Vila Velha, um grupo de amigos resolvem se juntar, seguindo o lema do "Faça-você-mesmo": buscando se diferenciar por uma identidade própria ao compor sons, se baseando em algumas referências até então ainda não muito óbvias no cenário da indústria fonográfica: Os paulistanos do CÓLERA, os californianos do BAD RELIGION, os italianos do RAW POWER e os alemães do IMPULSE MANSLAUGHTER foram alguns convidados da cachoeira onde os primórdios do GRITOS DE ÓDIO beberam, numa antropofagia coletiva entre integrantes do HANCENYAZE, do INDIGENTES e um jurássico da HARMONIA TURBULENTA, formam a banda nos idos de 94 ensaiando no sótão de um laboratório de análises clínicas.

Nessa época que lançam o primeiro registro em estúdio, uma demotape com 8 sons bem "in your face", ou como falaria o capixabês, "na lata", curto e grosso, rápido e rasteiro. Depois disso começam a ter uma certa projeção, e tocar com mais freqüência em vários lugares do dentro e fora do estado, conquistando reconhecimento, prestígio, e além de tudo isso uma grande rede de amigos pelo Brasilzão à fora.

Seguindo o curso rio abaixo, em 1997 a banda lança o EP Causa Justa com foices de trabalhadores rurais sem terra brilhando na capa do disco num momento tenso em que a mídia dominante mais endemonizou o movimento e os conflitos com o capital e o latifúndio mais assassinou os trabalhadores. Nessa gravação já com uma alteração em sua formação, o que obviamente fez com que incorporassem novas tendências ao som, os 6 petardos do disco, mantém as raízes da banda mas com algumas incursões pelo Hard Core New School de bandas como SELF CONVICTION, STRIFE e AVAIL. As letras abordando temas como guerra, traição, ganância, racismo, crise do sistema educacional, paranóia, mostram a preocupação da banda com esse planeta louco e caótico.

Em 1998 vão a Belzonte uai para queimar 13 sons no CD Profundo inconsciente, sendo 6 deles regravados do EP, mais 7 inéditas. Uma dessas músicas é do saudoso projeto paralelo do GRITOS DE ÓDIO, a banda PÖNVÉI: "Gritando por democracia". Entre a porradaria e a psicodelia varia a musicalidade do disco, aqui com influências que vão de RAISED FIST à FUGAZI, mais uma surpresinha tecnotronic de bônus.

A Coletânea Underground Survive, lançada pela Refúgio Records em 2000, com 21 sons de bandas locais, do Rio de Janeiro e Belo Horizonte - traz mais duas músicas inéditas da banda, que a partir daqui passa a assinar definitivamente GRITOS. "Fuga", falando sobre espinhos, distâncias e desafios, é um suspiro seco de exatos "2 minutos de ódio", cultivado pela revolta a uma ordem social tão excludente e opressora. "Outra vez", toca na ferida escancarada de olhos abertos que não enxergam, não sonham, e se encantam com falsas ilusões - se é que existam as verdadeiras.

Nesse decorrer de tempo, a banda passou por diversas formações, sabendo sobreviver bem a esses transtornos. As Músicas novas de bônus nesta compilação, vem mostrar um pouquinho para os interessados e curiosos como anda a banda hoje. Sabendo misturar a dose certa das novas tendências e influências, sem cortar as raízes que sustentam essa árvore - buscando ao contrário de muitas bandas, até fortalecê-las - , temos aqui em mãos alguns de seus frutos. Enquanto ainda degustamos essa produção, que esse banquete, além de tudo, sirva para aliviar nossa ansiosa espera por mais uma nova safra do GRITOS. Bom apetite.

Sandro Juliati

credits

released January 1, 2005

Demo 1994
01. Atropoluição
02. Pobre Lírio
03. Gritos de Ódio
04. Extremo
05. Fingindo Rezar
06. Perda de Tempo
07. Sem Saídas

EP 1997
08. Falsas Tendências
09. Perda de Tempo
10. Melhor Caminho
11. Gritos de Ódio
12. Distúrbios da Mente
13. Intolerância Racista

CD 1998
14. Nada Mudará
15. Intolerância Racista
16. Enxofre
17. Mantenha Distância
18. Gritos de Ódio
19. Atropoluição
20. Distúrbios da Mente
21. Melhor Caminho
22. Profundo Inconsciente
23. Falsas Tendências
24. Perda de Tempo
25. Causa Justa
26. Democracia

Coletânia 2000
27. Fuga
28. Outra Vez

Single 2004
29. Escolha
30. Novo Sentido

Formação atual: Adriano: Guitarra, Henrique: Guitarra, Ana Cláudia: Baixo, Bruno: Bateria, Bocca: Vocal
Fizeram parte da banda: Fabrício; Giuliano; Luciano; Rodriguinho; Lucas; Leo Aranha.
Letras compostas por Fabrício Biassuti, Leo Aranha, Giuliano e Bocca.

tags

license

all rights reserved

about

Läjä Rex Vila Velha, Brazil

contact / help

Contact Läjä Rex