Carne

by Mukeka di Rato

/
1.
2.
01:39
3.
4.
01:18
5.
6.
7.
8.
9.
10.
01:54
11.
02:26
12.
13.
01:30
14.
02:26

credits

released January 1, 2012

Mukeka di Rato:
Sandro - Vocal
Mozine - Baixo e Vocal
Paulista - Guitarra e Vocal
Brek - Bateria

Produzido por Rafael Ramos
Direção Artística: João Augusto

Gravado e mixado por Jorge Guerreiro
no Estúdio Tambor (RJ)
Masterizado por Ricardo Garcia
no Magic Master (RJ)

Músicas e letras: Mukeka di Rato
Todas as letras editadas por Deck

Mukeka di Rato usa Voodoo Cowl,
Mad Rats, Orion Cymbals,
Bauer Percussion e Alba Sticks

Ilustrações: Ete
Projeto gráfico: Valsa

tags

license

all rights reserved

about

Läjä Rex Vila Velha, Brazil

contact / help

Contact Läjä Rex

Track Name: Frações, Refrações E Proporções
Um quarto de imoralidades
Um terço de penitências
Um meio de vontades
Um por um de indecência

Um quinto de culpa
Um sexto de desejos
Um sétimo selo pera correspondência
E um oitavo dia de insistência

Um nono de nitroglicerina
Em efervescência
Um décimo de paz, ódio, amor e violência
Um centésimo neto nascido no Quênia
Um milésimo de rotações, trasnslações e turbulências

Um bilionésimo de cifras e
Transações em cadência
Indivisível, invisível transparência
Track Name: Animal
Ônibus lotado, buraco no meu sapato
Meu bolso tá furado, essa é a minha sina
Fazer papel de otário, salário atrasado
Meu lanche tá estragado, puta que pariu!
Eu só tô me fudendo em toda minha vida
Enquanto eu vejo os outros rindo de minha cara
Um dia eu me revolto e isso vai mudar
Arrumo uma arma e o bicho vai pegar
Por que o ser humano chega ao seu limite
E um dia em desespero perde a consciência?
Depois que todo sangue tiver pela calçada
O ônibus queimado, você vai me entender

Me chame de animal!
Tenha medo de mim!

Eu quero condições de me sustentar
Eu quero condições de me divertir
Mas o que eu ganho?
Porrada na minha cara
Me chamam de safado, só vão me reprimir
Você pensa estar longe, no seu apartamento
Mas pouco a pouco você vai perceber
Leia no jornal, assista na TV
Eu estou mais perto, mais perto de você
Na sua faculdade, vizinho no seu bairro
Garoto classe média, o que te faz tremer
Então é bom agora descruzar seus braços
E aprenda por si mesmo a se defender

Me chame de animal!
Tenha medo de mim!

Aquela boa alma virou um animal!
Aquele lindo anjinho virou um assassino!
Agradeça à polícia, agradeça aos políticos
Você é mais uma mãe que está perdendo um filho
Track Name: Rinha de Magnata
Rinha de magnata, retórica barata
The cash & la plata atrás da sua jogada
Rinha de magnata, retórica barata
Cascalho e cascata atrás da sua jogada

Debaixo de suas artimanhas
De suas piadas sem graça
Atrás desse honesto bom moço
Quem é que sabe o que se passa?

Pague só pra ver. Mais um esperto enganar você
Vai te iludir, te ferrar. Pague só pra ver

Vai desfilar em carreatas. Ao longo da avenida
Em alegorias de promessas. De candidatos em oferta

Disfarçados de profeta. Na alma e no corpo
Em pele, carne e osso. Não é mera fantasia!

Rinha de magnata, retórica barata
Cascalho e cascata atrás da sua jogada
Rinha de magnata, retórica barata
The cash & la plata atrás da sua jogada
Track Name: Enxurrada
Prove do meu gosto
Artificial
Toque minha pele
Virtual

Virtual, Artificial
Artificial, Virtual

Sinta meu aroma
Sensacional
Veja minhas curvas
Bidimensional

Virtual, Sensacional
Artificial...

Ouça minha voz Ficcional!

Artificial, Virtual
Virtual, Bidimensional

Corpo é bom negócio
Mergulhe nesse lamaçal
Experimente, engula!
Enxurrada de lixo cultural!
Track Name: Produtos Químicos Eletrodomésticos
Matam a fome da alma
Matam a fome do corpo

Produtos químicos eletrodomésticos

Fio ligado no cérebro. Veneno no coração
Alma dissuada de tédio. Bendita disposição
Descarga nas veias abertas. Via circulação
Amálgama na carne. Crime, castigo e perdão

Produtos químicos eletrodomésticos
Track Name: Borboleta Azul
Como é legal
Passar o resto de nossas vidas
Penando nessa bendita
Colônia penal

Como é legal
Esconder navalha no rabo
Comer como vira-lata
E apanhar mais que cavalo

Como é legal
A dieta com lacraias
Baratas e sapos
E, sortudo, algum rato

Como é legal
Banho de sol com chicotadas
Nadar com tubarões
Nessa ilha abençoada

Tendo como bóias apenas grilhões
E profundas mágoas
Tatuado à flor da pele a indiferença e
O berro de feridas inflamadas

Carregando toras no lombo
Cadáveres sobre o seu ombro
Contendo as pupilas em brasa
Enterrando amigos em covas rasas

Só nos resta contemplar
A borboleta azul
Colorindo o fim de tardes amargas

Já não sei mais quem somos
Nesta solitária
Pena que não somos lagarta

Nunca teremos casulo
Mas sonhamos com o dia
Em que teremos asas
Track Name: Voltar A Viver
Eu queria voltar a viver
Eu queria fugir dessa jaula
Eu queria acabar com esse transe
Eu queria serrar essas grades

Eu queria não ter um blindado
Eu queria não ter esse medo
Eu queria sonhar sem segredo
Eu queria voltar a viver

Se portas não travassem com a
presença de um simples metal
Se portas não travassem
com o negro da minha cor
Se portas se abrissem,
se eu tivesse mais liberdade
Quem sabe eu voltaria a viver
com os seres humanos?

Existiu, está escrito nos livros
Mas talvez seja ficção
Que um dia a espécie humana
Caminhou sobre duas patas
E criou artifícios imundos
Que matou semelhantes por nada
Que espalhou o ódio na Terra
Que espalhou o medo da vida

Já passou onze horas da noite numa rua escura?
Já parou o seu carro sozinho num lugar deserto?
Já estendeu a mão a uma pessoa estranha?
Cuidado, meu amigo, você pode se machucar

Eu queria voltar a viver...
Mas com esse tipo de gente,
É dificil de sobreviver
Track Name: Você É Você!
O que a sociedade vai pensar?
O que a opinião pública vai dizer?
Os padres, os pastores, civis e militares
E apresentadores de TV

Como vai dizer para os seus pais?
Agora não dá mais para esconder
Encare de frente, assuma a verdade
Descobriram que você é você!

Você é você!

Assuma a verdade, encare de frente
Descobriram que você é você!
Track Name: Jogo do Bicho
Ninho de cobras
Balaio de gatos
Loca de escorpiões
Camaleões dissimulados

Presas ingênuas
Assassinos camuflados
Acordos não declarados
Deturpação dos fatos

Encruzilhada da vida
Granada acionada
Artilharia intensa
Bombardeios em seqüência

O jogo do bicho

Ninho de cobras
Presas ingênuas
Balaio de gatos
Assassinos camuflados
Loca de escorpiões
Acordos não declarados
Camaleões dissimulados
Deturpação dos fatos

O jogo do bicho
Track Name: Pedro E Alfa
Pedro acordou cedo. No seu dia de folga
Um dia da semana. Que via o mundo lá fora

De segunda a sábado. As feiras do seu fardo
De manhã ia pra batalha
No trânsito e no ônibus lotado

Que à noite lhe deixava em casa
Tédio da existência. Indiferença e nada

Mas nesse dia precisava provar que era homem
Algum feito de importância
Que lhe engrandecesse o nome

Não pensou em atravessar mares
Não pensou em esculpir obra de arte
Não pensou em se encontrar com Deus
Nem na guerra, nem no sexo, nem na morte

Só pensou em sair ali na zona norte
Nesse dia e entrar num shopping
Que lhe daria essa oportunidade
Grandiosa e majestosa honra

De exercer cidadania com seu poder de compra
Mas suas economias não eram suficientes
Para adquirir o veiculo dos sonhos
Que ele produzia diariamente...

Foi então que pensou em fazer
Um cataclisma, uma revolução
Comprar um CD de rock alucinado
Escancarar e ouvir no máximo!
Mandar todo mundo pra casa do caralho!
Fazer cara de mau e assim ser respeitado

Mas tamanha foi sua decepção
Que chegou até mesmo a ligar para o Procon
Que atenciosamente registrou sua reclamação

Procon, boa tarde.
- Que boa tarde o que moça, comprei o CD de uma banda nova aqui óh.. me falaram que era rock, isso aqui não é nada, isso é mentira.. um bando de palhaço!
Eu quero meu dinheiro de volta, porra!!
- Ok senhor, sua reclamação será registrada.
Track Name: T.G.E.
Trabucos! Guloseimas!
Escravarias!
A nova ordem do mundo

O cabra pega a faca
Raspa o cabelo de vassoura
Desenvolve a geringonça
Tá bonita a garrunchinha
Ele é doido e tá disposto
Fuma crack e senta o teco
Na cara do policial

Mas não é só de tosqueira
Que vive o nosso bandido
A parada vem de fora
Mocozada, vem de barco
Lança-míssil, mira laser
Derrubando helicóptero
Isso é sensacional

Trabucos você encontra em qualquer esquina
Mas eu vi mulher bonita
Pedindo pra eu votar sim

Trabucos você encontra em qualquer esquina
Mas eu vi mulher bonita. Chorando por proteção

Dando Proteção...
New Generation, Cosme, Damião

São balinhas e docinhos na boca da galera
Temperadas com o pozinho mágico
E receitas azuis e amarelas

São festinhas do momento, as pessoas tão armadas
Traficantes são famosos, já estão na retaguarda
Esperando por seus escravos

Escravos! Paz de Escobar!

Criança branquinha. Criança neguinha
Tem órgãos fresquinhos. Pro gringo comprar

Mulata clarinha. Loirinha, neguinha
Gostoso, exótico. Gringo quer transar

Escravos modernos. Não deixe escapar
O lucro é certeiro. Temos pra exportar

Trabucos! Guloseimas!
Escravarias! A nova ordem do mundo

Trabucos! Guloseimas!
Escravarias! Futuro e solução pro nosso país!
Track Name: Vencer Na Vida
Parabéns, muito bem!
Você é o tal
Dando a volta por cima
Orgulho e moral

Você é um vencedor
Cumprimente o perdedor
Demonstre humildade
Solidariedade e amor

As chances estão aí pra todos
Todos que têm dinheiro no bolso
Mais uma regra com recessão
Para a maioria da população

Onde vai estudar?
Como vai comer?
Onde vai morar?
E quando adoecer?

Não tem problema
Não faz mal
Pois tudo acaba bem
No presidio ou no hospital!
Track Name: Cachaça
A cachaça é o ópio do povo brasileiro
Que mesmo sem trabalho,
Sem saúde e sem dinheiro
Se entorpece num gole,
Se afoga em mais um porre
Alivia a dor da vida e prepara para morte

Sem saúde - Cachaça
Sem emprego - Cachaça
Sem futuro - Cachaça
Sem esperança - Cachaça

Vou beber - Cachaça
Pra esquecer - Cachaça
Meus problemas - Cachaça
Vão resolver?

Se todo esse etanol
Que me lubrifica o fígado...
Petróleo, cana, milho:
Alimento ou combustível?
Track Name: Carne
Carne de cobaia iraquiana
John Wayne, estupre uma criança
Bento XVI, vire-se a Meca
Bush, dê-nos esperança!

Petróleo é de beber com um gosto de amargar
O sangue faz a máquina girar
Morre um ditador na América do Sul
César! Fogo! Nu!

Isso é religião, política, loucura
Meu Deus! Osama nas alturas!
Os seus cowboys vampiros têm os olhos azuis
Tirem esse índio dessa cruz!

O clone do humano, o clone da ovelha
O rosto de Jesus na imagem da Besta
Montados em seus cavalos exterminando os negros
O lixo, o resto, o feio

O mundo é uma maravilha, mas não posso viver
Pois sinto nojo de tudo que vejo
Inclusive da minha cara cínica no espelho
O que me deixa em intenso desespero

Essas engrenagens querem me amassar
Eu quero deixar de existir

As cenas de terror que não saem da minha mente
Nunca mais vou conseguir sorrir

Tem sentido procriar?
Pra onde prosseguir?